PÓS-GRADUAÇÃO – TÓPICOS ESPECIAIS EM SOCIOLOGIA III – A INDÚSTRIA CULTURAL: GENEALOGIA E DESDOBRAMENTOS SOCIOLÓGICOS

Disciplina Eletiva do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais

Código 216083

Período: 2018/3

Prof. Dr. Dmitri Cerboncini Fernandes

Horário: quartas-feiras, das 09:00 às 13:00.

Email: dmitri.fernandes@ufjf.edu.br

EMENTA

O conceito de Indústria Cultural, cunhado por Theodor Adorno e Max Horkheimer na obra Dialética do Esclarecimento, tornou-se um dos mais importantes contributos para a compreensão das modificações sucedidas na modernidade dentre os mais variados prismas na teoria social. O curso pretende abordar a constituição das discussões que antecederam a criação do conceito, passando por uma análise do mesmo nas obras de Adorno e Horkheimer, bem como os embates posteriores em torno dele e sua possível relevância para a apreensão de fenômenos sociais referentes ao capitalismo contemporâneo. Partiremos de leituras de textos clássicos estritamente vinculados ao tema, como os de Marx e Weber, para depois caminharmos em direção à constituição da problemática com Lukács, Benjamin e os próprios Adorno e Horkheimer. Em seguida, realizaremos um escrutínio do conceito e de seus desdobramentos em meio às obras de Habermas, Guy Debord, Pierre Bourdieu, Robert Kurz e nos denominados “Cultural Studies”, dentre outros.

OBJETIVOS

Fornecer um ferramental analítico ao pós-graduando que o possibilite lidar com temas correlatos aos surgimento e desenrolar do conceito de Indústria Cultural, bem como as instituições, relações de poder, de dominação e de submissão apreendidos por ele.

PROGRAMA

  1. A) Gênese e estrutura do conceito de Indústria Cultural;
  2. B) Para uma análise do conceito;
  3. C) A sociedade contemporânea vista por meio do conceito.

MÉTODOS UTILIZADOS

  1. a) Aulas expositivas
  2. b) Leituras dirigidas
  3. c) Análise de materiais diversos
  4. d) Seminários

PROCESSO DE AVALIAÇÃO

A combinar.

 

PROGRAMA/CALENDÁRIO DAS AULAS

15/08 – Apresentação do curso 

22/08 – Marx, Karl. O Capital: Crítica da Economia Política, Coleção Os Economistas, Vol. 1, Livro primeiro, Tomo 1, Editora Nova Cultural, São Paulo, 1996, pp. 70-78. 

29/08 – Weber, Max. Sociologia das Religiões e consideração intermediária. Relógio D’água Editores, Lisboa, 2006, pp. 317-358. 

05/09 – Lukács, Georg. História e consciência de classe. São Paulo, Martins Fontes, 2003, pp. 193-239. 

12/09 – Benjamin, Walter. “A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução”, IN: Benjamin, Horkheimer, Adorno, Habermas: Os Pensadores – Vida e Obra. São Paulo, Editora Abril Cultural, 1980, pp. 3-28. 

19/09 – Adorno, Theodor. “O Fetichismo na música e a regressão da audição”. In: Adorno – Os Pensadores. São Paulo, Nova Cultural, 1996, pp. 65-108. 

03/10 – Horkheimer, Max e Adorno, Theodor. “Conceito de Iluminismo”. In: Dialética do Esclarecimento: Fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1985., pp. 19-52. 

10/10 – Horkheimer, Max e Adorno, Theodor. “A Indústria Cultural: o esclarecimento como mistificação das massas”. In: Dialética do Esclarecimento: Fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1985., pp. 113-156. 

17/10 – Adorno, Theodor. “A Indústria Cultural” e “Televisão, consciência e indústria cultural”. In: Cohn, Gabriel. Comunicação e indústria cultural: leituras de análise dos meios de comunicação na sociedade contemporânea e das manifestações da opinião pública, propaganda e “cultura de massa” nessa sociedade. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1971, pp. 288-295; 346-354.  

24/10 – Habermas, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública. São Paulo, Editora Unesp, 2011, pp. 327-394. 

31/10 – Debord, Guy. A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro, Contraponto, 1997, pp. 167-237. 

07/11 – Jameson, Frederic. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo, Editora Ática, 1996, pp. 27-79. 

14/11 – Bourdieu, Pierre e Passeron, Jean Claude. “Sociologues des mithologies e mithologies des sociologues”. Paris, Les Temps Modernes, dez 1963, n. 211, p 998-1021. 

21/11 – Puterman, Paulo. Indústria cultural: a agonia de um conceito. São Paulo, Editora Perspectiva, 1994. 

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA (poderá ser revista e acrescida ao longo do curso)

Adorno, Theodor. As estrelas descem à Terra: a coluna de astrologia do Los Angeles Times: um estudo sobre superstição secundária. São Paulo, Editora Unesp, 2007.

______. “How to look at television”. In: The quarterly of film, radio and television. Califórnia, EUA, Vol. 8, n. 3 (primavera, 1954), 213-235.

Benjamin, Walter. “A obra de arte na época de suas técnicas de reprodução”, IN: Benjamin, Horkheimer, Adorno, Habermas: Os Pensadores – Vida e Obra. São Paulo, Editora Abril Cultural, 1980, pp. 3-28.

Bourdieu, Pierre e Passeron, Jean Claude. “Sociologues des mithologies e mithologies des sociologues”. Paris, Les Temps Modernes, dez 1963, n. 211, p 998-1021.

García Canclini, N. & Moneta, C. (orgs.). Las industrias culturales en la integración latinoamericana. Buenos Aires: Eudeba; 1999.

Coelho, Teixeira. O que é indústria cultural. São Paulo, Editora Brasilense, 1986.

Cohn, Gabriel. Comunicação e indústria cultural: leituras de análise dos meios de comunicação na sociedade contemporânea e das manifestações da opinião pública, propaganda e “cultura de massa” nessa sociedade. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1971.

Debord, Guy. A Sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro, Contraponto, 1997.

Duarte, Rodrigo. Teoria Crítica da Indústria Cultural. Belo Horizonte, Editora UFMG, 2003.

Ferrándiz, Raúl Rodríguez. “De industrias culturales a industrias del ocio y creativas: los límites del «campo» cultural”. In: Comunicar, nº 36, v. XVIII, 2011, Revista Científica de Educomunicación; p. 149-156.

______.  “Los orígenes teórico-críticos del concepto ‘industria cultural”, in Tortosa, V. (Ed.). Mercado y consumo de ideas. De industria a negocio cultural. Madrid: Biblioteca Nueva; 56-72; 2009.

Fiske, John. Reading the popular. EUA, Routledge, 1989.

______. Television culture: popular pleasures and politics. EUA, Routledge, 1999.

Grupo Krisis. Manifesto contra o trabalho, 1999, pp. 1-60.

Hall, Stuart. Da diáspora; identidades e mediações culturais. Belo Horizonte, Editora da UFMG, 2003.

Habermas, Jürgen. Mudança estrutural da esfera pública. São Paulo, Editora Unesp, 2011.

Horkheimer, Max. “A presente situação da filosofia social e as tarefas de um Instituto de Pesquisas Sociais”. Praga – Estudos Marxistas, n. 7. São Paulo, Hucitec, pp. 121-132, 1999.

Horkheimer, Max e Adorno, Theodor. Dialética do Esclarecimento: Fragmentos filosóficos. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Editor, 1985.

Huet, A. & al. Capitalisme et industries culturelles. Grenoble: P.U. de Grenoble; 1978.

Jameson, Frederic. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo, Editora Ática, 1996.

Jappe, Alselm. Sic transit gloria artis: o “fim da arte” segundo Theodor Adorno e Guy Debord. Portugal, Centelha Viva, s/d.

Lacroix, J. G. & Tremblay, G. “The Information Society and Cultural Industries Theory”. In: Current Sociology 45 (4); 1997.

Lukács, Georg. História e consciência de classe. São Paulo, Martins Fontes, 2003.

Marx, Karl. O Capital: Crítica da Economia Política, Coleção Os Economistas, Vol. 1, Livro primeiro, Tomo 1, Editora Nova Cultural, São Paulo, 1996.

Morin, Edgard. Cultura de massas no século XX: O espírito do tempo. São Paulo, Editora Forense, 1969.

Puterman, Paulo. Indústria cultural: a agonia de um conceito. São Paulo, Editora Perspectiva, 1994.

Rüdiger, Francisco. Theodor Adorno e a crítica à indústria cultural: comunicação e teoria crítica da sociedade. Porto Alegre, EDIPUCRS, 2004..

Weber, Max. Sociologia das Religiões e consideração intermediária. Relógio D’água Editores, Lisboa, 2006.